sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Ano Novo...sem passas


Já estamos no novo ano...
Há 2 dias, quando davam as doze badaladas, e ao contrário do que sempre fiz...não comi uma única passa de uva. Não pedi um único desejo. E a minha cara-metade fez exactamente a mesma coisa (apesar de não termos combinado, nem falado sobre isso).
O sentimento era igual...tantos desejos pedidos e nenhum concretizado...Este ano fazemos ao contrário, para ver se as coisas correm melhor. Mas não se avizinham dias fáceis.
A acupuctura já ficou pelo caminho...a Vitamina E está a ser tomada intermitantemente, a próxima ICSI continua "em banho-maria". O desejo de sermos pais mantém-se, mas neste momento estamos mais preocupados em cimentar com carinho a nossa casinha de amor.

11 comentários:

Angel disse...

Sim amiga a paz num lar trás coisas maravilhosas ;)
Bjs

Mar disse...

Com passas ou sem elas, os desejos estão na vossa cabeça e no vosso coração e, sobretudo, nessa casinha de amor que juntos vão continuar a construir e a ampliar. Beijinhos.

Susana Pina disse...

De vez em quando é necessário parar um pouco e aproveitarmos alguns momentos que tantas vezes ficam esquecidos no meio desta luta que esta doença nos faz acompanhar.
Desejo muito que essa Paz se mantenha e que em breve o teu sonho se torne realidade.
Um bj grande
susana

Lina disse...

Feliz ano novo é o que vos desejo!
Mesmo sem passas os desejos estão na nossa cabeça e no nosso coração!
Beijinhos

Li disse...

Oh querida...fiz exactamente a mesma coisa...nem passas, nem desejos, nem champanhe...mas sim muito amor e um abraço bem apertado:)
Feliz Ano Novo:)

Mamães na Itália disse...

Ola,
Achei seu blog através do blog da Beri. Indiquei a ela colocar uma caixa do pagseguro para que quem quiser, poder ajuda-los com alguma doaçao. Também coloquei um post no meu blog e mandei e-mail. Estou te escrevendo para que se voce qusier ajuda-los me ajudar a divulgar o site dela para contribuirem. O que voce acha? Se quiser me manda um e-mail que te encaminho o e-mail que estou mandando. Abraços Daniela (daniela@meditardiaenoite.com.br)

Drikas disse...

Amiga, não comeste as tuas passas, mas eu comi uma por ti ;) Tenho a certeza que 2009 será o nosso ano, e na proxima passagem de ano organizamos um encontro para comparar barriguitas :) PENSAMENTO POSITIVO

Dalila disse...

Menina, vou te falar uma coisa: comigo foi exatamente do mesmo jeito! Não fiz pedido. Não planejei isso, apenas não fiz. Não comi passas ou romãs, como no ano passado. Não desejei nada. Apenas olhei os fogos, desejei feliz ano novo para o marido e mais nada.
Estou exatamente no mesmo ponto do caminho que vc: banho-maria...

mil beijos, espero que esse ano seja melhor para todas nós!

Isabel disse...

Olha só sei que não há impossíveis.
Tudo começou há muitos anos, tinha eu então pouco mais de anos quando sofri um grande acidente. Então foi-me dito pelos médicos que jamais poderia engravidar. Na altura não liguei muito, pois não tinha namorado nem queria tal coisa. Só por volta dos 30 e muitos é que comecei a pensar em engravidar. Fiz um batalhão de testes alguns muito invasivos e o resultado era sempre o mesmo: impossível engravidar."Apareceu-me a MTC/Acupunctura e durante 2 anos andei em Lisboa a fazer tratamentos de tudo e mais alguma coisa de MTC e devo dizer que nas primeiras sessões eu estava tão mal que ele só me fazia massagens TUI NA e aquilo doía-me tanto que eu chorava litradas, ele o médico me ia explicando que era minha depressão e todo o sofrimento acumulado ao longo de tanto tempo e assim era de facto. Deixei que a depressão tomasse conta de mim pois eu gostava de fazer o papel de vítima e como boa portuguesa nada como uma boa depressão num país cheio de depressões e pessoas como tal. Ao fim de 2 anos de tratamentos de MTC o médico chamou-me a mim e meu marido e disse: "á pensaram em irem os 2 para o estrangeiro? Seria muito bom que fossem...." Eu tinha nascido na Áustria devido ao emprego de meu pai que andava sempre a viajar e minha mãe acompanhava-o e numa dessas viagens eu nasci...Meu marido também viajava imenso e eu ficava durante semanas só....sem emprego, depressiva e vontade de engravidar, meu marido muito compreensivo e dizia que iria abandonar aquilo que ele adorava para tratar de mim...recusei claro...e aquela conversa do médico de MTC nos ajudou a clarear as ideias...eu já estava muito melhor, mudei de alimentação, fazia exercícios de Chi Cungue, fazia tratamentos regulares e frequentes e tudo isso me tirou do abismo que antes me encontrava. Devo esclarecer que nunca acreditei nas tretas da Psiquiatria, Psicologia, Medicina Convencional/Ortodoxa/Ocidental especialmente em Portugal e claro está que fazer fertilizações para "vacas" e "bois" estava completamente fora de questão.

Foi então com o emprurrão dado pelo médico de MTC que juntei minha tralha e fui ter com meu marido e com os contactos fornecidos pelo médico de MTC lá fui à procura da clínica de MTC na Suécia. Não preciso de dizer que fiquei encantada, a mentalidade não retrógrada dos médicos convencionais da Suécia, tudo tão diferente de Lisboa e "arredores". E assim durante mais 2 anos fiz MTC à mistura com Homeopatia e outras terapias e como meu marido sempre viaja pela Europa Central e do Norte eu aproveito por vezes e viajo com ele e faço também outras terapias pois sou muito curiosa e interessada. Assim ao fim de 4 anos de MTC engravidei aos 43 anos e curioso, por aqui esta idade nada tem de tabu nem dessa "crendice" aítão divulgada de que com de 35 anos então tu és um perigo de saúde, coisa estúpida e ridicula. Tive meu primeiro rebento sem as tretas de cesariana e epidural, em casa na banheira dentro de água e sem qualquer dor e tudo muito rápido. Hoje meu Svendson tem 4 anos e é uma criança saudável apesar de não ter levado vacinas.
Continuei a fazer tratamento de manutenção de mês a mês e sim nada tenho haver com a antiga Isabel raquítica, ressentida, amrgurada, infeliz apesar de ter um maridinho santo que me aguentou nem sei como, a pensar em suicídio etc.

O ano passado voltei a Portugal de férias para arrumar de vez a nossa passagem por esse país e aproveitei para visitar o meu antigo médico de MTC, encontrei-o e fizemos várias sessões de tratamentos completamente malucos em vez de só MTC e estourei com muitas das grilhetas, fardos, "crendices", tabus e mitos que de por vezes nos assolam e nos sabotam. Adorei e passado um mês engravidei e cá estou de novo grávida apesar do tal impossível e no 8 mês. Esta semana fiz meu 1º exame desta gravidez e tudo aponta estar normal e eu com 48 anos hehehehehe.
Meu Sventson nasceu na Holanda e é provável que meu próximo nasça ou na Dinamarca ou Alemanha tudo depende onde estiver meu maridinho e onde meu filho desejar nascer.

E bom, esta é uma parte da minha vida, cheia de peripécias e muito sofriemento mas que se lixe hoje minha vida é alegria imensa maesma. Nunca esqueci o que meu médico de MTC aí dizia, na vida tudo é possível. Eu acreditei e acredito mesmo.
Agora só me interessa o presente, aquilo que eu sou, não aquilo que tenho ou deixei de ter, não me interessa o passado senão para aprender com ele a não repetir o sofrimento e o futuro será o que eu hoje construir, quero lá saber. Hoje e só hoje e nada mais.

Li algures que tu estiveste e sentiste exposta e isso te desagradou, pois, vai a um desses estábulos tipo Alfredo da Costa e outros que tais e verás o que é exposição e sentires-te impotente como eu senti quando dei apoio a algumas amigas minhas que foram aí mães. Nesses dias eu disse para mim mesma, isto não quero para mim e meu rebento.
Sem dúvida que uma das tarefas do médico naturalista é colocar-nos o dedo na ferida, tocar-nos no âmago do sofrimento...dói e se dói...mas é o nosso ego a dizer-nos para fugir, mas só depois de tomarmos consciência de nós e o que andamos cá a fazer é que realmente faz tudo e todo sentido. Repara que já expus por não sei quantas vezes perante o meu(s) médico(s) naturalistas, mas tal já não me aflige e faz parte do processo evolutivo, nada mais do que isso e acredita que a exposição é bem amior do que se o médico me enfiasse a mão nos meus genitais. Já nada disso me aflige, o sofrimento desaparece e o alívio vem à tona e sentimos então a tal sensação tão propaga de Paz, Amor e Felicidade. Indescritível.

E quanto às passas e afins, deixa para lá, isso também não passa de crendices. Não te deixes afectar por coisas tão banais.

Permite-me a minha frontalidade e em minha opinião, acho que tu e teu marido (não gosto do termo cara metade, como se fôssemos incompletas, sabes) ainda não estão preparados. Se pensam que esta etapa é a mais dificil então não sabem o que os espera. Uma criança é alegria e algumas dores de cabeça é de facto um enorme investimento de dinheiro, tempo e montes de paciência e amor. Tudo muda quando somos a 3, quase deixamos de existir os 2 e passamos o foco das atenções quase 24h para o pequenote, isso mesmo dia e noite.
E depois não é o fim do mundo, ainda tens a possibilidade de adopção.
Bom, tenho mesmo de ir, meu pequenote clama pela mãe...sou eu hehehehe.
Bom ano 2009, que seja tudo o Universo tem de bom para Ti.

Abraço da Isabel

Maruja disse...

Olá Isabel,
Obrigada pelo teu testemunho e pela tua frontalidade.
Compreendo muitas das tuas palavras e até concordo com a maioria delas. Muitas das vezes somos levados pela corrente, mesmo que não acreditemos que é por ai o nosso caminho...
Beijocas e parabéns pelos dois filhotes ;)

eu mesma! disse...

Eu até acho que sim... temos que tentar de alterar a rotina... e faço votos para que tenham tudo o que mereçem... um beijinho grande